“Assim mesmo” – por Madre Teresa de Calcutá


“Muitas vezes as pessoas
são egocêntricas, ilógicas e insensatas.
Perdoe-as assim mesmo.

Se você é gentil,
as pessoas podem acusá-lo de interesseiro.
Seja gentil assim mesmo.

Se você é um vencedor,
terá alguns falsos amigos e alguns inimigos verdadeiros.
Vença assim mesmo.

Se você é honesto e franco,
as pessoas podem enganá-lo.
Seja honesto e franco assim mesmo.

O que você levou anos para construir,
alguém pode destruir de uma hora para outra.
Construa assim mesmo.

Se você tem paz e é feliz,
as pessoas podem sentir inveja.
Seja feliz assim mesmo.

O bem que você faz hoje,
pode ser esquecido amanhã.
Faça o bem assim mesmo.

Dê ao mundo o melhor de você,
mas isso pode não ser o bastante.
Dê o melhor de você assim mesmo.

Veja você que, no final das contas,
é tudo entre você e Deus.
Nunca foi entre você e os outros.”


Madre Tereza de Calcutá

About these ads

21 Comments

  1. OI!
    Sou palestrante espírita e vou utilizar esse poema lindo no encerramento da minha palestra daqui a pouquinho. Vou falar sobre obediencia e resignação às leis de Deus. E esse poema é um exemplo dessa obdiência ao bem..ao amor e Deus é o amor….
    Obrigado por postar essas coisas lindas na internet que está precisando muito de coisas lindas, porque alguém (que não sei quem é) disse um dia que: “O mundo será salvo pela beleza”.
    Abraço fraterno e beijo no coração de vocês todos…

  2. Ó lapis nas mãos de Deus, beata Madre Tereza, como é difícil seguir seus ensinamentos tão lindos. Este mundo em que vivemos nos suga a alma, estou sufocado, cansado de tanta sujeira. Madre Tereza alimentou tantos em sua época. Que Deus alimente as das pessoas que passam fome.

  3. Eu também gosto muito deste texto e descobri que ele não é da autoria de Madre Teresa. O título dele é “Mandamentos Paradoxais”, vou colar aqui o texto que encontrei com a explicação e o nome do verdadeiro autor. Se você pesquisar o autor no google vai encontrar mais detalhes sobre ele.

    A autoria dos “Mandamentos Paradoxais” é, muitas vezes, atribuída à Madre Teresa de Calcutá, pois esta mantinha uma cópia dos mesmos em sua parede. Todavia, foram escritos por Kent M. Keith, quando este tinha 19 anos de idade, e publicados pela primeira vez pela Harvard Student Agencies, em 1968.

    Espero que ajude. A propósito, gostei do blog. Parabéns!

Se gostou, comente aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s