Pensando com Madame Guyon

“Partindo de um amor justo, próprio de Seu supremo poder, e de um zelo idôneo pela humanidade, que atribui a si mesma os dons que Ele mesmo concede, aprouve a Deus tomar uma das mais indignas criaturas da criação para tornar conhecido o fato de que Suas graças são os frutos de Sua vontade, e não os frutos de nossos méritos.

É próprio de Sua sabedoria destruir o que está construído com orgulho e construir o que está destruído; fazer uso de coisas fracas para confundir os poderosos e empregar para Seu serviço aquele que parece vil e desprezível.

Isso Ele faz de uma forma tão surpreendente que chega a transformá-los nos objetos do escárnio e desprezo do mundo.

Não é para atrair sobre eles a aprovação pública que Ele faz deles instrumento para salvação dos outros, mas para torná-los objetos de seu desgosto e súditos de seus insultos; como verás nesta vida sobre a qual tenho o encargo de escrever.”


Extraído da Auto Biografia de Madame Guyon – Editora dos Clássicos

Anúncios

Se gostou, por gentileza, comente aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s